• Por: Garantidora Duplique Desembargador
  • 12/12/2013

Diversão tem limites

Festas de fim de ano, verão e férias intensificam o uso das áreas comuns. É hora de fazer valer o bom senso O ano termina com muitas comemorações e o início do verão, uma temporada onde os moradores tendem a passar mais tempo nas áreas comuns do condomínio, como piscinas, churrasqueira e playground. Mas é […]

Festas de fim de ano, verão e férias intensificam o uso das áreas comuns. É hora de fazer valer o bom senso

O ano termina com muitas comemorações e o início do verão, uma temporada onde os moradores tendem a passar mais tempo nas áreas comuns do condomínio, como piscinas, churrasqueira e playground. Mas é preciso ter em mente que, apesar de tanta alegria e diversão, não se deve extrapolar nos horários, nem no barulho.

barulho 12

Em São Paulo, por exemplo, existe o Psiu – Programa de Silêncio Urbano – que combate a poluição sonora, estipulando o barulho em 50 decibéis entre 7h e 22h, e 45 decibéis das 22h às 7h. Mas, como o Psiu não pode atuar em festas de condomínios, neste caso vale o bom senso de todos para que não haja incômodo após as 22h.

Advertência

O regulamento interno dos prédios em geral aborda a questão do comportamento, e o descumprimento acarreta advertências e multas para a unidade que não respeita as normas.

Segundo a professora de Etiqueta Social do Senac Lapa Faustolo, Cida Lopes, “o ideal é sempre usar a educação, o bom senso, o diálogo, compreender que as pessoas não têm o mesmo ritmo, diminuir o ímpeto em respeito ao sossego dos outros”.

O administrador Pedro Roberto, que mora em um condomínio na zona norte de São Paulo, conta que já houve vários imprevistos quanto ao barulho.

“São quatro torres e muitas crianças, que aproveitam a época das férias para brincar, mas elas não têm horário para voltar para casa e ficam até tarde lá embaixo. Isso atrapalha os vizinhos dos andares mais baixos, que acabam reclamando e gerando conflitos com os pais.”

A disputa pelo salão de festas e a churrasqueira também pode gerar brigas entre os vizinhos. Porém, no regulamento interno deve estar bem claro que a reserva é feita com bastante antecedência para que o condomínio organize a programação.

Além disso, se houver mais condôminos interessados naquela data, um sorteio costuma ser realizado para que todos tenham chance, de forma honesta e transparente, de usufruir do salão ou da churrasqueira na data especial.

Durante as festas

Natal e Réveillon são comemorações que viram a noite. É permitido fazer a festa em seu apartamento, desde que as normas sejam seguidas e os vizinhos respeitados. Desse modo, todos se divertem sem maiores imprevistos.

Receber parentes e amigos vindos de outros lugares, por exemplo, costuma ser muito agradável, mas o morador deve ficar atento às regras do condomínio em relação aos hóspedes e segui-las à risca para que não haja nenhum problema.

“Neste momento o equilíbrio é fundamental para deixar o hóspede inteiramente feliz e integrado, não permitir abusos e cercear o direito dos outros condôminos que também têm seus hóspedes”, explica Cida.

Para que todos fiquem em paz

– Das 7h às 22h, o barulho de 50 decibéis é aceito. Após isso, passa para 45

– Instrua as crianças para o horário de funcionamento do playground e da piscina, que costuma ser até às 21h, dependendo do condomínio

– O morador deve instruir o hóspede quanto às regras para que ele se integre e não cause transtornos

– As regras são válidas para todos e, quanto mais conscientização, melhor a convivência entre os vizinhos

– Normas são necessárias em respeito ao idoso que precisa de sossego para descansar, em respeito à criança que precisa de um sono tranquilo para o seu desenvolvimento, ao trabalhador que acordou cedo e quer seu momento de descanso, ao doente que está na janela ao lado e até em respeito a si mesmo e ao seu relógio biológico

– Aproveite o fim de ano e o ano todo em harmonia, oferecendo respeito e sendo respeitado

Fonte: iCondominial

  • COMPARTILHE

Pesquisar

Desenvolvido por: