• Por: Garantidora Duplique Desembargador
  • 07/11/2013

Especialização é fundamental para síndico evitar desentendimento com moradores e gerar economia para o condomínio

Para minimizar os riscos de desavenças, o síndico deve buscar conhecimentos sobre o código civil, as leis trabalhistas, além das áreas contábil, administrativa e do direito. Para tal, cresce o mercado de cursos para síndicos profissionais O convívio entre síndico e condôminos nem sempre é dos mais amistosos. Entre as diversas e variadas queixas dos […]

Para minimizar os riscos de desavenças, o síndico deve buscar conhecimentos sobre o código civil, as leis trabalhistas, além das áreas contábil, administrativa e do direito. Para tal, cresce o mercado de cursos para síndicos profissionais

cursoO convívio entre síndico e condôminos nem sempre é dos mais amistosos. Entre as diversas e variadas queixas dos moradores estão: a falta de espaço para as crianças brincarem, os problemas nas áreas comuns do condomínio, valor das contas, vagas de garagem, barulho do vizinho, entre outras. “É difícil agradar a todos, normalmente haverá alguém que discordará da decisão tomada, mesmo que ela pareça a mais acertada e conte com o apoio da maioria”, assegura o administrador especializado no segmento de condomínios, Ricardo Karpat.

São muitos os detalhes que envolvem o trabalho do síndico, desde checar o vencimento dos extintores de incêndio e funcionamento das câmeras de segurança, ao controle das vagas na garagem e do salão de festas. Porém, a parte de manutenção e de obras são as mais complexas, que geram maiores investimentos e reclamações. “Para que a decisão do síndico seja questionada o menos possível e agrade ao máximo de moradores, é importante que ele desenvolva um plano de trabalho para definir as prioridades, ou seja, o que é mais importante para o condomínio. Bem como oriente os moradores e apresente os projetos, os orçamentos e defina as obras de melhorias”, revela o administrador.

Mas, para que todo esse processo seja realizado de forma eficiente, é necessário se especializar na função. “A formação é fundamental. Um bom síndico deve ter conhecimento sobre o código civil, as leis trabalhistas, além de interesse nas áreas contábil, administrativa e do direito. Há também outras habilidades que ajudam a ser um bom síndico, como saber ouvir as reclamações dos condôminos, ser um bom comunicador, e, principalmente, exercer liderança”, complementa Karpat.

Para tal, o administrador revela a existência de cursos especializados que profissionalizam o trabalho do síndico. Com temas variados, o curso é dividido por módulos, que abordam questões como gestão empresarial, gestão financeira, de recursos humanos, legislação, segurança e política de sustentabilidade. “A especialização dos síndicos é uma tendência crescente e que dificilmente retroagirá, pois o profissional capacitado só tende a trazer vantagens para o condomínio, gerando economia e reduzindo os desentendimentos”, finaliza Karpat.

Fonte: Portal Administradores

  • COMPARTILHE

Pesquisar

Desenvolvido por: