• Por: Garantidora Duplique Desembargador
  • 21/10/2013

Cercas eletrificadas dificultam invasões

Já não bastam os muros e as grades de ferro: as cercas elétricas já ocuparam um lugar especial nos condomínios, como mais uma barreira contra os assaltos  As cercas elétricas são as campeãs de vendas, seguidas dos sistemas de alarmes, devido ao preço mais acessível e ao poder de inibição: se tiver de pular um […]

Já não bastam os muros e as grades de ferro: as cercas elétricas já ocuparam um lugar especial nos condomínios, como mais uma barreira contra os assaltos cerca elétrica 2

As cercas elétricas são as campeãs de vendas, seguidas dos sistemas de alarmes, devido ao preço mais acessível e ao poder de inibição: se tiver de pular um muro, em 90% dos casos o assaltante acaba se deslocando para uma outra residência que não tenha a cerca. Instaladas sobre o muro em toda a extensão do terreno, as cercas eletrificadas são ligadas a uma central de choque e a uma sirene. Se alguém tocar ou cortar o fio, a sirene é acionada no mesmo instante.

As cercas elétricas não podem oferecer risco à integridade física dos usuários ou de quem venha a “tocar” nela por estar eletrificada. O choque provocado pela cerca é conhecido como choque moral: possui alta voltagem e baixa amperagem. É pulsativa. Não queima, não deixa marcas e não faz com que os animais e as pessoas que nela encostem ou segurem fiquem grudadas.

A amperagem deve ser calculada a partir de estudos técnicos, a fim de se verificar qual é a ideal para que não seja mortal ou cause danos com o contato humano, bem como para o tipo de choque a ser utilizado. O proprietário ou, no caso de condomínio, o síndico em exercício, responderá, a priori, civil e criminalmente pela morte ou lesão corporal ocasionada pela cerca elétrica. Em qualquer caso, a empresa responsável pela instalação e manutenção do equipamento poderá ser ocasionada. Assim, convém estabelecer objetivamente norma contratual sobre a responsabilidade em caso de acidentes.

Evitando problemas

– Sinalizar devidamente o local ( perímetro ) a respeito da cerca e suas consequências

– Informar todos os moradores, funcionários e a quem se faça necessário, que ocupam a área interna da cerca, de sua finalidade e periculosidade. Principalmente as crianças, certificando-se de sua compreensão

– Informar vizinhos sobre a finalidade e a periculosidade da cerca

– Desligar o equipamento antes de regar plantas próximas à cerca, fazer podas de árvores ou plantas (caso exista) e fazer manutenção do equipamento ou do muro

– Utilizar sempre assistência técnica autorizada/credenciada

– Não deixar que a vegetação, caso exista, venha a tocar na cerca

Fonte: Jornal do Síndico

  • COMPARTILHE

Pesquisar

Desenvolvido por: