• Por: Garantidora Duplique Desembargador
  • 17/10/2013

Acompanhamento da manutenção

No dia a dia, observa-se que a maioria dos síndicos apenas se limita a pagar mensalmente o valor do contrato de manutenção, delegando completamente a sua responsabilidade e não verificando se o prestador de serviço corresponde as expectativas do condomínio quanto à manutenção mensal. A manutenção basicamente consiste em conservar o equipamento – através de […]

No dia a dia, observa-se que a maioria dos síndicos apenas se limita a pagar mensalmente o valor do contrato de manutenção, delegando completamente a sua responsabilidade e não verificando se o prestador de serviço corresponde as expectativas do condomínio quanto à manutenção mensal.
manutenção de elevadorA manutenção basicamente consiste em conservar o equipamento – através de uma boa limpeza, lubrificação, ajustes e inspeção dos principais componentes, especialmente os de segurança, corrigindo possíveis defeitos técnicos, e, assim prolongando a sua vida útil. Normalmente, com exceções de obsolescência tecnológica e de materiais, quando um elevador apresenta sucessivas chamadas técnicas é bem provável que esteja acorrendo uma deficiência na manutenção preventiva mensal. Quando isso ocorrer, o síndico deve ficar atento, principalmente ao quesito segurança, e questionar a empresa responsável pela manutenção. É tolerável que ocorra, em média três chamadas técnicas ao mês por cada equipamento.
Por recomendação, seguem algumas atitudes e cuidados que podem evitar danos ao seu elevador:
1. A manutenção deve ser realizadas por empresas capa­citadas e credenciadas pela Prefeitura e Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura – CREA. Nenhum “conserto”, por mais simples que pareça, pode ser realizado por leigos;
2. Não ultrapasse o limite de carga (peso máximo) indicada pela Norma Técnica;
3. Não deixe crianças e adolescentes “brincarem” no interior da cabina;
4. Não deixe crianças utilizarem sozinhas o elevador;
5. Não jogue lixo e objetos no poço do elevador;
6. Não mantenha o elevador em seu andar, impedindo a sua partida com a obstrução da porta através de objetos;
7. Evite água/umidade em seu elevador, seja oriunda das chuvas, infiltrações e/ou limpezas. Pois, além de acelerar a oxidação, pode provocar sérios prejuízos ao seu equipamento;
8. Não utilize o elevador em caso de incêndios;
9. Verifique periodicamente se os itens de segurança obrigatórios estão funcionando, como interfones, luzes de emergência e alarmes;
10. Não entre no elevador quando a luz da cabina estiver apagada;
11. Observe se o elevador está no pavimento e se não há desnivelamento entre a cabina e o andar;
Um forte indicador de qualidade e eficiência, é observar se a empresa está entregando mensalmente um plano de manutenção detalhada dos principais itens do elevador e o tempo que os técnicos permanecerão no prédio. Se ficarem por um período muito curto, pode começar a desconfiar… Quando há um bom acompanhamento do trabalho de manutenção, todos se beneficiam.
Fonte: Revista Cadê o Síndico
  • COMPARTILHE

Pesquisar

Desenvolvido por: